Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio Autores & Leitores

Área dos LEITORES

Autores Consagrados

Bibiotecas Virtuais

Colunistas

Livros

Novos autores

Quadrinhos

Sebos Virtuais

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Colunistas

< Outros colunistas >    

   Henrique Chagas Foto de Henrique Chagas

Henrique Chagas é criador e administrador do portal cultural Verdes Trigos e escreve nesta coluna periodicamente.



Hierosgamos: o Cântico dos Cânticos de Noga

            
Noga Sklar deu-me o privilégio de escrever a orelha do seu inédito romance "Hierosgamos", a ser lançado na FLIP 2007 pela Giz Editorial. Foi uma leitura prazerosa e lúdica, que renovou em mim o ardente desejo de sempre viver um grande amor. A orelha está pronta, o livro está sendo levado à prensa: Sucesso e sorte à Noga, autora e personagem. "O amor é forte, é como a morte! Cruel como o abismo é a paixão, suas chamas são chamas de fogo, uma faísca de Javé!" (Ct, 8,6). Noga Lubicz Sklar confessa que não é o virtual a linha de força de sua ficção, mas o real, escrito de forma rápida e sem preconceitos. Do naipe de escritores que mesclam, de uma forma desvelada, vida e literatura, nos adianta que o seu romance é também autobiográfico. Penso que se desnudou em demasia, todavia, nos faz cúmplices na catarse vivida pelo gratificante encontro virtual, que se findou real. E o real vivido nos é entregue na forma lírica, sedutora e erótica de "Hierosgamos". Depois de dois maridos, nenhum filho, anos de um "luto infindável", no limbo, ela sonha com a sorte de um amor tranqüilo, e ele está on line: um americano formado em literatura inglesa, que fez mestrado no Neguev, um filósofo romântico, que fala francês, hebraico e mestre em inglês, com alma de artista e sutilmente irônico. Vivem quarenta e dois dias de intensos diálogos, aflorando as profundas inquietações de Noga, com ênfase em sua formação transcultural, religião e sensibilidade. Defrontamos com a corajosa judia que deixou de jejuar no Yom Kippur, disposta a quebrar regras, que nos seduz com a sua história de amor. Com despudorada narrativa erótica, da pele à cona, ela brinca com palavras de múltiplos sentidos, e nos desperta para o desejo de também construir uma vida de amor. De uma personagem de Almodóvar transforma-se na morena do Cântico dos Cânticos, mostra- nos o seu lado brilhante, numa disposição surpreendente para se apaixonar. Como é tímida, faz amor em inglês, e prova da doçura do leite e mel, eretz zavat halav como Semadar, na cama com Salomão. Como não se contentou em viver apenas um amor platônico e virtual, por suas trilhas secas, com a cona pingando de úmida, lançou-se sobre o mar, dividindo-o; e voou milhas para compreender o dinamismo e a essência do amor, que se perpetua de frente para o Cristo Redentor, no Alto Leblon.
Copyright Henrique Chagas © 2007
Todos os direitos reservados.

Envie este artigo para um(a) amigo(a)

Comentários dos leitores

Uma interessante sinopse que nos atrai, de forma irresistível, para a leitura deste romance, pautado na força de uma pessoa decidida em busca de seu amor verdadeiro.

Postado por Silvino em 24-08-2007


COMENTE ESTE TEXTO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.



< Outros colunistas >    


Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2007-2013
  • Todos os direitos reservados.