Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio KD Inovações Tecnológicas

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Galeria de Autores & Leitores

Caro leitor,

Este é um trabalho já aprovado pelo público!

Sinta-se à vontade para, depois de lê-lo, deixar seus comentários.

Bons Textos!

> Ler outra crônica <   < Ler contos > < Ler poemas >

COISAS DE UM MUNDO PERDIDO

por JORGEHUMBERTO


					    
Ao som de harpas celestiais, comendo ambrósia, e, de leite fresco, saciando minha sede, no cimo de uma montanha sagrada, com rios de mel, correndo livremente, entre jardins suspensos, onde vagueiam, sem pressa, miles de animais, neste pedaço de rocha, paradisíaca, juntas-te a mim, sempre de sorriso, nos lábios cereja, e, eu abro espaço, para que tu, minha deusa, ocupes o teu lugar, só a ti destinado. Chegas formosa, pés descalços, na erva rasteira, soltando teus cabelos, à altura da cintura, enfeitada, de lenço escarlate. E, penteias-te demoradamente, com um certo prazer, que, alindando, vai, teu belo rosto ancestral mas sempre jovem. Gozando tudo, a que temos direito, nesta pequena redoma, para onde nos lançaram, descanso não há, pois que, a todo o instante, centenas de crianças, vêm-se prostrar, a nossos pés, pedindo, a seu gosto, que lhes contemos histórias, atrás de histórias, sobretudo aquelas, em que é retratado, o fim do Mundo e do Homem. Para não mentirmos, às crianças, levámo-las, descendo pelo arco-íris, até ao que um dia, se chamou, de Planeta Terra, para que, com seus próprios olhos, pudessem ver, toda a destruição, que ali reinou e imperou, século após século, até ao assassinato, de tudo, o que um dia respirou e teve descendência, consagração final, do que conhecíamos por vida. Impressionadas, com a devastação, de toda a vida humana e animal, plantas petrificadas, no chão ressequido e árvores, mais os sulcos, por onde um dia, correram rios e mares, a falta de oxigénio e os prédios, em absoluta degradação, fê-las querer regressar, e, ganhando asas, no dorso, voltamos todos, à Terra dos justos. Jorge Humberto 28/12/08
Copyright JORGEHUMBERTO © 2009
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 559 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para JORGEHUMBERTO.

Comentários dos leitores

Triste realidade! E se acabar a Terra, onde o homem achará outro paraíso?

Postado por lucia maria em 31-10-2012

Muito lindo,triste e repleto de verdade.O autor soube expressar muito bem os temores das almas de BEM preocupadas com o futuro da humanidade e do planeta.Parabéns.Um abraço.Luiza.

Postado por Luiza em 24-02-2009

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.


> Ler outra crônica <   < Ler contos > < Ler poemas >

Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.