Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio KD Inovações Tecnológicas

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


CALENDAS GREGAS



					    
RUBEMAR ALVES Namoravam a perder de vista. Não assim “...há muitos e muitos anos”, mas é melhor ELA agarrar logo o Príncipe Encantado Gigante a ser mais tarde ‘encantada’ por um Bruxo Malvado ou seqüestrada por um Dragão Alado Cuspidor de Fogo. Assim, o nomeou Meu- Herói-Paulista-Anjo-da-Guarda. ELE, culto e metido a saber tudo sobre a Grécia Clássica! ELA às escondidas o apelidara de ZEUS (sedutor, hipnotizador cruel) e se sentia uma doce ingênua NINFA dos bosques, inspirada na música da flauta, instrumento barato que a escola municipal podia oferecer e um aluninho desafinava do outro lado do muro o dia inteiro... O namorado aparecia, vinha com suas frases latinas que de imediato a irritavam (traças roeram o herdadíssimo dicionário na família há três gerações, só respeitaram o livro e o dicionário de grego, da mesma época, na prateleira mais alta) - ou inglês: “How do you do, Darling?” - ou alemão: “Guten Tag!” Esquecia que ELA sabia um pouquinho de japonês... Príncipe estudioso, no mínimo. Popularmente, um ‘cabeça-de-Santo-Onofre’. Ou ‘de- São-Jerônimo’? ELA “cobrou” casamento e a resposta foi que marcariam perto das “calendas gregas”, expressão que ouvia em casa desde pequena, ao pedir uma festança de aniversário no clube (era em casa, farta, mas sem sofisticação) ou presente caro no Natal (aprendeu bem cedo a colecionar miudezas e que alguns, embora mais baratos, emocionam muito mais que um brinquedo só). Sabia que as calendas gregas eram datas inexistentes pois os gregos antigos não tinham calendário, como nos dias ‘modernos’ de 24 horas e números de 1 a 31... Ora, deixar para as calendas gregas é esperar um tempo que nunca virá, a situação adiada indefinidamente - regime alimentar (que começa na segunda-feira e acaba na terça), questões jurídicas e políticas, principalmente data de............ casamento. ELA espontaneamente dispensaria religioso e alianças, um tanto “algemas” menores. Pesquisou expressões equivalentes a calendas gregas e exigiu dele que falasse agora apenas em português claro. Anotou, reviu e preparou defesas. Porque advogado, ELE, tem sempre argumentos para réplicas e tréplicas. “Dia de São Nunca...” - “O quê? Segurar meu braço e se apresentar aos meus amigOS rapazes como meu noivo? O dia 1º de novembro é dia de Todos os Santos, inclui São Nunca.” “30 de Fevereiro, serve?” - “Olhe isto aqui,,,” Explicação do narrador: Mostrou um papel amareladíssimo. Numa famosa caixa de papelão (recortes culturais e curiosidades), ELA possuía um antiqüíssimo cartão de ponto da avó - na empresa onde era secretária, o relógio ia até 31, os funcionários ficavam esperando o 28 ou 29 de fevereiro, para marcarem 30 e 31, pura brincadeira, antes de regularizarem para o primeiro dia de março. Melhor a emenda que o soneto... “Quando a galinha criar dente...” e “Quando o porco criar asa...” - Fácil! Em poucas horas a amiga artesã mexeu no barro, modelou, secou, pintou e ELE ganhou dois enfeites para a estante de livros. ELE ainda tentou enrolar: “Quando a vaca tossir...” Impossível? Quem disse? Visitaram familiar dela numa área rural. Estava acontecendo na pracinha um futebol muito engraçado: todos os jogadores usando camisas diferentes dos clubes mais famosos do país todo, ELE foi convidado e vestiu a camisa do (também tricolor) São Paulo... Passou um rapaz conduzindo vários animais soltos e de repente uma vaca entrou no campinho da ‘pelada’. Aparentemente, boi e vaca são animais lentos, calmos. Quem disse? Tentaram expulsar a vaca do espaço, ela ficou nas patas traseiras, levantou as dianteiras igualzinho como os cavalos fazem, sacudiu a cabeça, babou e emitiu um som estranho que um engraçadinho logo traduziu como “a vaca está tossindo”. ELE, que se achava um carneiro rebelde e impulsivo, dominado agora por suas próprias remarcações de datas? Cadê as calendas gregas??? Num tempo recorde, “Senhor e Senhora Smith”! Errei: este é o nome de um filme de 2005. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2012
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 423 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Ri às gargalhadas. "Caçaram" o esperto Ariano, carneiro teimoso que perdeu para uma Ninfa delicada, mas esperta.

Postado por lucia maria em 15-12-2012

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.