Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio BAC

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


Z" de ZERO (=NADA) OU "Z" de ZAGUEIRO?



					    
RUBEMAR ALVES Casamento-surpresa para ELE mesmo que estava há muitos na defensiva contra dividir o espaço em que vivia solteirinho e livre há mais de deZ anos. Mas leu que “Nenhum homem é uma ilha” (JOHN DONNE), morava mesmo fora do litoral e achou que ELA seria boa companhia. Mulher para cama e mesa, coZinheira, secretária etc. Casa já montada, bastou que ELA trouxesse a certidão de nascimento para o civil (evidentemente!), as roupas, os calçados... e veio junto imensa caixa de papelão com receitas culinárias - digitadas de A a Z e muitos recortes. Ah, também um aparelho antigo de louça inglesa, para chá, que o deixou deslumbrado, desenhos coloridos talveZ da pudica era vitoriana, em paisagens rurais. Resolveram se dar um praZo e só teriam um filho ao segundo ano de casamento. (Meia dúZia nunca!) Talvez ZÓZIMO (nome bíblico: ‘guerreiro abnegado’), talvez ZAIRA (origem árabe ou cigana: ‘a visitante, a florida, a de pele brilhante’). “Letra bonita. Reta, nada de sinuosidades, fácil de desenhar. Z de Zíngaro, cigano!” - ELE explicava. Primeiro índice, fosse um sintoma inicial de maluquice ou não, foi pedir a ELA que passasse a usar com mais frequência a saia enxadreZada, algodão de Zuarte, em aZul e branco, Zíper do lado. ELA pronunciava fecho éclair, mas sabia do que se tratava. Começou a observar a frequência contínua da letra Z........... Menina nota 10 em ditado desde a alfabetiZação. Espiou as receitas dela - passou a sugerir abacaxi cristaliZado, arroZ doce temperado com licor de aniZ, bolo podre (receita portuguesa de EstremoZ: leva mel, canela, erva-doce e laranja). Ah, e muitas comidas com aZeite e aZeitona. E muitas raíZes também - explicou as raZões, nomeou todas, uma a uma! Comprou um CD, abraçava a mulher e pausado cantarolava CAETANO: “Minha sabiá / Minha Zabelê / Toda meia-noite eu sonho com você / (...) eu devo amar / Pra nunca morrer de amor (...)” Casal em noites ainda românticas de muito carinho. Depois trocou no futebol de fim de semana entre amigos a posição de excelente goleiro pela de (fracote, diga-se de passagem) Zagueiro, pois estava se sentindo vigoroso (de fato, remoçara bastante com o casamento, deixou de ser um rapaZ soZinho e macambúZio), sentia necessidade de correr como uma zebra. Comprou um segundo CD, agora JORGE BEN JOR. Recitava em voz forte como aluno de artes cênicas: “(...) bom Zagueiro não pode ser sentimental, tem que ser sutil e elegante, acreditar em si e ser leal. Zagueiro tem que s er malandro (...), tem que ser ciumento e ganhar todas as divididas e não deixar sobras pra ninguém. Tem que ser o rei e o dono da bola.” ELA se sentiu ofendida - às vezes o tratava como rei, mas não estava gorda ‘como uma bola’.......... E o reconhecia muito ciumento, do tipo discreto de pegá-la pelo braço e afastar das festas e reuniões. “EU, uma bola dividida?” ELE explicou que, no futebol, o Zagueiro, beque ou defesa central é o jogador que ocupa a posição entre a linha média e a rede do gol, como principal posição da linha de defesa. Certa veZ voltou do Morumbi feliZ, às gargalhadas: “Deu *Zebra, querida, ganhamos de 3 a 0, Zero com Z, meu amorZinho!” IroniZou - que o outro time se diZia “muito melhor”, toda a imprensa esportiva a elegendo equipe favorita, houve um resultado inesperado com vitória para o time do São Paulo, ELE e amigos comemorando na piZZaria do Zé (Giuseppe). Passou a diZer que Zebra era o bicho mais bonito do mundo. Não achou um destes animais em louça para enfeitar estante de livros, comprou mesmo um cavalo, duas pequenas bisnagas de tinta preta e tinta branca e um pincel. Recreação no domingo de muita chuva... Pediu cuscuZ com calda de Zimbro (genebra) para o lanche dessa tarde. Apelidou o cachorro da casa viZinha (de nome ZOROASTRO, batiZado com festinha pelas crianças) de ZIGUEZAGUE, pois andava todo torto, gemendo bastante; sugeriu veterinário gratuito do Zoo, talveZ uma riZotomia na coluna o consertasse... Foram ao cinema. Cadeiras onZe e doZe. Filme recebera vários prêmios internacionais em 1969 e 1970, ELE ainda um garotinho de (quase) nada, ELA ainda muito longe de nascer... “Z”, franco-argelino de 1969, dirigido por Costa-Gravas e baseado no romance homônimo de Vassilis Vassilikos - suspense político, fatos reais ocorridos em 1963 (ELE só nasceria 4 anos depois) na Grécia: nada de mitos e lendas, da paixão dele, marido - Z em grego antigo significa “ELE está vivo”. A coitada dormiu caída sobre ELE, este um tanto decepcionado, talveZ esperando Zeus (ou Helena semi desnuda?), não lancharam, mulher carregada no colo (Ratinha & Gigante, ainda bem...) para o carro no estacionamento do shopping. Depois disso, elegeu o ZORRO como seu maior herói da ficção, que deixava no inimigo a marca Z, e comprou vários filmes, gênero aventura de capa-e-espada, incluindo o norte-americano de 2005, com Antonio Banderas, Catherine Zeta-Jones e Pedro ArmendariZ Jr. ELE parecia endoidecido e passou a colocar um rabisco no formato da letra Z em bilhetes para a mulher, colados (“Com Zelo”, como diZia) na porta do freeZer (não servia geladeira) ou nas notinhas de compras, se ELA fosse ao supermercado soZinha. E carro? Vacilou entre um GM/Chevrolet Zafira (discreto, cinza) ou um BMW Z 4 Roadster (escandaloso, vermelho). Impossível comprar! Arrumou dois cartaZes coloridos e pregou na parede do quarto, envieZados. Aí ELA se enfeZou de veZ. Zangou-se pesado. Não era uma Zabaneira, mulher desavergonhada, não merecia que curtisse a cara dela, Zombasse à toa. Foi a um terreiro, pediu ajuda a ZAMBI, divindade principal do culto banto, africano, mas o deus negro parecia Zarolho e não muito Zelador do destino alheio, alguém querendo apenas permanecer feliZ. Apenas deZ meses de casamento.................. “Z de Zero é igual a nada. Não aguento mais voZê, até estou falando bobagem (e gritou): você!!!” Procurou um advogado, achou doutor ZÉLIO (que significa ‘Zeloso, sensível, criterioso, criativo em artes’) - perguntou a ELA, inicialmente, os dois signos do Zodíaco: ÁRIES, ELE, Gêmeos, ELA, dupla até harmonizada... No mesmo escritório, havia outro advogado, marido contratou (porque não podia advogar a si próprio), doutor ZETO (filho de Júpiter e Antíope, sempre a amada mitologia). Cada cônjuge apresentou sua tese. PARTILHA DE BENS 1 - Considerando-se que a casa já estava arrumada pelo homem quando a conheceu, porém ELA partilhou o uso dos móveis e objetos domiciliares, torna- se direito por posse. Estes bens serão partilhados, ficando ELE com tudo o que se refere a uma sala, especialmente o sofá, e ELA com tudo o que se refere a um quarto, especialmente o armário de roupas com espelho grande. 2 - Quanto ao aparelho de chá, os pires machos e o açucareiro para ELE, as xícaras fêmeas e a manteigueira para ELA, a serrar o bule, metade para cada um... ou doar todo o conjunto “ao juiZ”, que sou colecionador de louça antiga, pela paciência que EU tive em escutar tanta idiotice. 3 - E finalizando, como na justiça de SALOMÃO, a criança deverá ser cortada ao meio, no sentido vertical, dividida entre pai, metade direita, lado da indiferença, ausência do amor, e mãe, metade esquerda, lado do coração, isto é, do sentimento. 4 - Ah, não têm filhos ainda?! Pois façam um hoje..................... Batizarei! Sou amigo do casal. Narrando a estória, lembrei neste momento um cartum interessante de “divórcio impossível” - a ‘peixa’, ao abandonar o ‘peixe’, propõe a partilha: marido ficando com o aquário (vaZio?), mulher levando a água aZul (como? onde?) e as pedrinhas coloridas... ELE confessou ao juiZ que era um CONTISTA e CRONISTA, que a amava e a estava usando como laboratório, pois já escrevera textos com as 25 anteriores letras do alfabeto, só faltando “Z” para completar a produção. JuiZ quando jovem estudara Letras (de A a Z?!) em paralelo com Direito. Outro goZador que quase aZuretara, enlouquecera a então namorada, igualzinho, há quinZe anos passados, com a letra K, pior ainda de se usar na vida prática. (Sem mulher como laboratório, criei o conto COM D... TAMBÉM SE ESCREVE DECEPÇÃO e outro intitulado “X” DO MEU (dela) PROBLEMA.) PraZo de 24 horas para decisão final... ELA chorou, ELE resmungou apenas. Reconciliados, agora o casal em paZ, juiZ sugeriu uma nova lua de mel bem longe.... Indicou em Santa Catarina uma cidadeZinha chamada Zortéa, origem no sobrenome italiano de imigrante trentino (povo tirolês de língua italiana), pioneiro na indústria de compensados, mas cautela para não terem novas brigas (desavenças é com ‘s’...) pois ali comeriam muito arroZ sob a forma de risoto (novamente com ‘s’...), prato criado na cidade de VeneZa, e também encontrariam muitas ‘ragaZZ e’ bonitas na localidade e muitas ‘fraulein’ louras nas redondezas. E não é que o ‘disgraZiato’ é fã de cabelo amarelo e fala alemão??? ELA sentiu imediatamente um Zumbido nos ouvidos. Olhou para o Zênite, ponto elevado, o céu, e convocou Santo ANTÔNIO (o oposto: letra A!!!). Vai começar tudo desde a estaca Zero?!... ------------------------------------------------------------------------- NOTAS DO AUTOR: ZABELÊ, ZAMBELÊ ou ZEBELÊ - Ave da família das tinamídeas, medindo entre 33 a 36 cm, que habita as caatingas do Nordeste do Brasil e as matas de Minas Gerais. Alimentam-se de sementes, bagas, pequenas frutas e aartrópodes. Formam haréns de fêmeas, fecundadas por machos solitários. Seus ovos possuem coloração verde-água, em postura de 2 ou 3. O canto consiste num forte piado com 3 ou 4 notas, variando em vocalizações regionais, ZEBRA - 1 - GÍria esportiva. Historicamente, a maior “zebra” aconteceu em 1950 no Maracanã (estreado com a “zebra” de cariocas perdendo para paulistas, poucos dias antes): Brasil 1 X 2 Uruguai, nosso país precisando apenas de um empate para a conquista da Copa do Mundo. 2 - Mamífero africano da mesma família dos equídeos, cuja pelagem consiste num conjunto de listras contrastantes, alternadas pretas e brancas em vertical. Habita m as savanas em grupos familiares: pai, mãe e filhotes. Com frequência atacados por leões, tornam-se extremamente velozes na fuga dos predadores e seus fortes coices quebram até a mandíbula de um felino. As listras das zebras escurecem com a idade e não há uma zebra que seja exatamente igual a outra. LETRA “Z” - 26ª e última letra do alfabeto latino, origens no alfabeto fenício, onde era a letra ‘zain’, significando arma, representado pela figura de uma adaga. Na Grécia Antiga, rebatizada de ‘zeta’, cujo desenho, nada semelhante a um “z”, lembrava mais um ‘i’ maiúsculo - ‘zeta’ foi usado também pelos etruscos, e junto com o ‘y’, só apareceu em latim após Roma conquistar a Grécia, nas palavras de origem grega. Em alemão e italiano, tem o som de ‘ts’, respectivamente nas palavras Zeichner (desenhista) - Zeit (tempo) e pizza - Lazio. Em português, o histórico som ‘dz’ é hoje apenas ‘z’. Na matemática, Z representa o conjunto dos números inteiros. Em química, Z representa o número atômico ou o de prótons de um átomo. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2013
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 454 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Enciclopédia ambulante! Com você, todo mundo aprende as coisas mais incríveis... Adoro tudo o que você escreve! Sua maior fã! (Chefinho, quando terei um aumentoZZZinho de ordenado?) Parabéns!

Postado por lucia maria em 30-03-2013

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.