Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio BAC

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


E-MAIL ENIGMÁTICO: MISTÉRIO POUCO MISTERIOSO



					    
ELA até agora não acreditava em “alma-do-outro-mundo-ou-que-na-verdade-seja-deste-mundo-mesmo”. Alugara e viu muitos antigos filmes de espionagem do agente secreto 007 com “Sir” Sean Connery: o tempo todo mensagens codificadas. Sabe que a verdadeira Guerra Fria acabou. O planeta pode ainda não estar em paz total, porém não mais se implicam e perseguem mutuamente as duas forças atômicas mais poderosas: casaca e cartola com estrela de cinco pontas X roupa vermelha e foice e martelo. Minha AMIGA carioca de imediato encaminhou para mim um misterioso e-mail que recebeu: estranhíssimo horário que só poderia ser de um insone engraçadinho ou quem tivesse acordado por instinto fisiológico para “devolver água” e resolveu passar um trote. ELA odeia tal coisa... Se fuso horário, então de que país? Três horas e vinte e dois minutos (onde?) não é bem horário para e-mail, madrugada seja lá em que parte do mundo... Não sou muito bom de enigmas. REMETENTE: desconexas letras maiúsculas e maiúsculas.com.br. DESTINATÁRIO: nome completo da minha AMIGA (...) com. br. ASSUNTO: outro aglomerado de letras. Data: 27/12/12 - 03:22. MENSAGEM: duas linhas em que se misturavam 3 algarismos e 3 letras pretas, um traço, em seguida 19 letras azuis, mais consoantes que vogais, parecendo uma frase. Idioma nenhum: inglês, russo, alemão ou romani. Código brabíssimo. Ao final, “MENSAGEM ENVIADA POR”: agora apenas RCA e 9 algarismos. (Um telefone paulista? Nem tentou ligar.) Assim, justamente na exata manhã do terrível “acordar-azeda-contra-a-humanidade-inteira”, porque bipolar ama (apaixonada e derretidinha) ou odeia (chicote ou cianureto?), dia 30/12, às 10:06, ELA encaminhou a mesma mensagem (Fwd) ao remetente. Esperou... pouco depois, devolução no horário de... 10:06 novamente. Gente íntima? Embaralhou as tais letras, olhou um a um os nomes de amigos num caderninho. Nenhuma pista. Em todo caso, imprimiu os e-mails de vinda e pesquisa para futura referência. Palavrões internos (educada, não diz o menor deles, mas pensa horrores!): perdeu tempo, gastou tinta e papel. Arquivou junto a e-mails sérios de um engenheiro escritor que tem amigos em diversos planetas. É isso! A pista está exatamente aí. Não bobinha mensagem cifrada, para encucar e adivinhar... quem sabe mensagem séria vinda de outro planeta?! (Mas com ‘br’ no remetente?) Certeza agora de que era um alienígena tentando contato. Dia 31, a minutos de meia-noite, ELA não conseguia tirar a rolha plástica de uma garrafa de sidra. Sozinha em casa. Ouviu uma voz masculina, em clara língua portuguesa. “Pode deixar que EU abro.” Um cidadão um tanto Gigante, em traje acolchoado, cor de prata de cima até botas altas que lhe pareceram de metal. ELE tirou o capacete (rosto vagamente conhecido...), jogou no sofá, perguntou se ELA recebera a mensagem, “Votos de Feliz Ano Novo” (sim, as 19 letras azuis)................ Um raio (laser?) saiu do dedo indicador direito, rolha atirada à distância com o ruído característico. Aí, de repente, a seduzida e hipnotizadinha conscientizou estar sozinha em casa desde as quatro da tarde, conferiu portas trancadas, janelas com grade, voltou à cozinha, as duas taças altas (duas? ELA só tem uma!), de vidro fino transparente, com o líquido borbulhante sobre a pia e uma bandeja oval, desconhecida, com duas fatias de bolo branco (ELA comprara mini musse de chocolate escuro com fios de ovos e duas cerejas). Olhou-se. Não a nudez de quem acabara de sair do chuveiro, mas um vestido comprido até o chão, tecido fino azul claro, saia cheia de estrelinhas prateadas. “Que roupa é esta?” - pensou encantada. No ar, estranho perfume de sândalo, be m ao gosto cigano. Sorriram-se mutuamente, tevê mostrando queima de fogos no país inteiro, muito barulho semelhante na pracinha da residência, encostaram as taças, brindaram, comeram os pedaços de bolo. ELE sugeriu que ELA fechasse os olhos por um segundo e a beijou na testa. Escutou um silvo um tanto longo, abriu os olhos e, novamente despida, pela janela aberta viu que uma nave espacial, redonda, subira do gramado de seu sítio enorme. (Que ELA viu, viu. Ai que alguém duvide!) Nenhuma reação na vizinhança, todos ocupados com a passagem de ano. Sobre a pia uma única taça vazia e a musse intacta na bandeja redonda. No chão, a rolha toda queimada, única prova de uma inacreditável realidade. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2013
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 315 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Ai, que coisa linda! Agora, quem é esse cara espacial, especial, maravilhoso? Não visão porque aconteceu antes de abrir garrafa. Indique- o para mim no próximo 31 de dezembro. Parabéns!

Postado por lucia maria em 22-10-2013

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.