Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio KD Inovações Tecnológicas

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


OUTROS IDIOMAS NO NOSSO IDIOMA PORTUGUÊS-PARTE II



					    
Aprender e passar adiante, marcando gol professoral.  Resumo a nível de ensino médio.  Nova pesquisa triunfal! - - - - - Portugal importou para nós escravos muçulmanos, depois vieram imigrantes... e o idioma árabe foi se incorporando à nossa língua de origem latina.  Resultado do convívio lingüístico resulta em 2 fenômenos da linguagem - empréstimo (domínio do sistema, isto é, da língua) e interferência (domínio da norma, isto é, da fala) - base na oposição de SAUSSURE, língua e fala:  níveis de análise lingüística-lexical, fonético e morfossintático.  //  Para SAPIR, “interinfluência linguística como resultado de contato entre povos vizinhos”.  Para MATTOSO CÂMARA, “empréstimo - conjunto de mudanças que uma língua sofre em contato com outras”. 1---EMPRÉSTIMO a nível lexical -- Deu-se do árabe para o português.  Árabes na Península Ibérica entre os anos 711 e 1492, marcas árabes em grande número de vocábulos jurídicos, sociais, de guerra... tudo associado ao idioma local.  O filólogo ANTENOR NASCENTES relacionou 609 verbetes de origem árabe ou através deste, em 3 épocas diferentes:  período popular, séc. VIII a XIV;  literário, séc. XV a XIX:  estrangeiro, séc. XIX a XX - a presença do elemento árabe no nosso dia a dia, sem percebermos.  Em “Aspectos da influência árabe na língua portuguesa”, ANTÔNIO JOSÉ CHEDIAK exemplifica com uma estorinha: “Casal com um filho em qualquer lugar do Brasil (...) arrabaldes de uma aldeia no interior (...) vestido de cinta e o xale (...) azougue de menino (...) colher de xarope (...) café e adoça-o com açúcar cândi (...) terno cáqui, bem lavadinho com anil (...) conhaque de alcatrão (...) limpa o azinhavre da espingarda (...) almoço (...) azeitonas (...) alface (...) azeite (...) refresco de tamarindo.........”  Etc. etc. etc.   //  Nessa pequena estória /impossível transcrever em minutos ou poucas linhas a totalidade da narrativa/, um mínimo de 60 vocábulos de origem árabe ou outros idiomas introduzidos através deste. I  --  Vocábulos com a partícula “al”.   O alfabeto árabe é composto de 28 fonemas.  O “al” com valor determinante é traduzido como artigo definido e em português há casos de assimilação ou não - exemplos:  açúcar e arroz, com assimilação do “l”, e alface e almofada, sem assimilação. Outras mudanças decorreram da forma como os léxicos foram percebidos pelos falantes de língua hispânica, ouvindo a nova língua, o que interferiu na aquisição de novos fonemas. Quanto a alguns vocábulos da estorinha:  -- “l” não assimilado - alambique, alcachofra, alcunha, aldeia, alforje, algodão, almofada  -- “l” assimilado - acelga, açúcar, açude, argola, armazém, arrabalde, azeite, azinhavre. II -- Vocábulos sem a partícula “al”:  cabidela, califa, escabeche, fígado, javali, salamaleques, tamarindo, xarope. III -- Vocábulos de diferentes origens, introduzidos na língua árabe:  origem persa - alcaparra, chita, espinafre, laranja, talco, xale / origem turca - café / origem híndi - anil, nababo / origem sânscrita - cânfora. Fenômeno de empréstimo  --  Um caminho que marcou a presença árabe no Brasil foram muitos escravos, a presença aqui do Islão negro.  Sobre o assunto, poucas obras publicadas, embora existam alguns artigos na revista Afro-Ásia, do Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade da Bahia.  Sobre a linguagem do negro na Bahia, em letras de música com interferência do islamismo - palavras religiosas e de uso cotidiano:  aluá, do árabe, ‘halwa’, doce ou bebida feita de arroz cozido  ou milho, açúcar e limão;  alufá, do árabe ‘al ukh’, irmão, sacerdote dos negros muçulmanos;  sará, do árabe ‘salah’, reza, missa dos malés. 2--Influência de nossos valores sobre os árabes -- Imigrantes em maioria sírio-libaneses chegaram no século XIX, política imigratória brasileira de caráter expansionista, aos poucos integrados à comunidade nacional - novo ambiente, língua portuguesa (aprendizado rápido, conhecimento utilitário), atividades comerciais.  //  Fenômeno de INTERFERÊNCIA lexical, aspecto dinâmico do esforço de adaptação ao novo meio -- Na linguagem oral árabe, participação simultânea em duas culturas, ora falando árabe ora português, daí alguns vocábulos usados pelos imigrantes:  bichtighil al brasa, trabalho na praça;  fâbraka harir, fábrica de seda;  mâkana khiât, máquina de costura;  buluza suf, blusa de lã;  nâmir, namorar.........  O uso dos vocábulos com interferência decorre da conduta inconsciente do falante que não sabe que fala com interferência;  mudança de contexto e repertório, o novo meio atuando como força social sobre o grupo de imigrantes;  situações fora da cultura e da língua árabe. Crescimento duplo - ao lado do léxico, também permuta de hábitos e costumes entre os dois povos. --------------------------------------------------------------- FONTE: “Vocábulos árabes no cotidiano brasileiro”, artigo de Neuza Neif Nabhan, professora na USP - SP, D. O. Leitura, ano 5, n.57, fev./87. F  I  M
Copyright ATHINGANOI © 2018
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 22 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Magnífica aula, muito além do "al, artigo definido". Parabéns!

Postado por lucia maria em 01-01-2018

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.